domingo, 28 de novembro de 2010

João Pessoa/PB - Um convite a pedalar!

Desta vez não escrevo sobre trilhas, percursos...etc. Escrevo sobre a cidade de João Pessoa, capital do Estado da Paraíba. A cidade fica a cerca de 180 Km de Natal utilizando a BR 101. A viagem de carro é tranquila e, com a conclusão das obras de duplicação da BR 101, tende a ser bem segura. 
João Pessoa conta com 40 km de ciclovias somente em sua orla, dentro da cidade existem ainda diversos trechos com mais ciclovias e ciclofaixas. Vale registrar que a ciclovia da orla é totalmente segregada dos veículos e pedestres, e que entre cinco horas e oito horas da manhã o trânsito de veículos é proibido na via.
Vejam quanta diferença! Aqui em Natal não temos nenhuma ciclovia. A única ciclovia que tínhamos em Natal, na Via Costeira, com as obras de duplicação, foi destuída para que houvesse mais malha viária para a circulação de veículos. É uma pena que os governandes potiguares estejam na contra-mão do que hoje se defende em mobilidade urbana.

Ciclovia na orla da praia de Cabo Branco

Fizemos um percurso saindo da Avenida Cabo Branco sentido a Avenida Panorâmica da cidade, passando pela Estrada da Penha, praia do Seixas e retornando pela Panorâmica. No percurso da ciclovia passamos pelo Centro de Ciências de João Pessoa - projeto do arquiteto Oscar Niemeyer, por condomínios de casas, pela hípica ... Enfim, foi um bom percurso, principalmente por poder pedalar em ciclovias sem a preocupação com veículos. Estávamos no nosso lugar, no lugar que todo ciclista urbano deveria transitar, em uma ciclovia ou em uma ciclofaixa.

Sinalização da ciclovia - vista da praia de Cabo Branco
Centro de Ciências de João Pessoa

Se for para João Pessoa e quiser levar sua bicicleta. Siga o conselho, você não vai se arrepender.

Entretanto, João Pessoa também tem um outro atrativo para os ciclistas. 
Vale a pena visitar a Bike Tech Pepe - (83) 3246 3636 - e conhecer as novidades do mundo do ciclismo. Como usuário de quadros Fuji, tive o prazer em ter em minhas mãos o quadro Fuji que equipou a equipe de ciclismo Footon Servetto no Tour de France 2010. O quadro pesa aproximadamente 790 gramas. Um luxo para poucos. Conheci também a Fuji Altamira, modelo de destaque da fabricante, equipadas com acessórios da marca suíça Oval.

Quadro Fuji Footon Servetto
Quadro pesando 790 gramas.

Não poderia deixar de destacar para os amantes do Mountain Bike, assim como eu, as rodas Ritchey Carbon Superlogic e a suspensão DT Swiss de carbono. As rodas pesam 1.200 gramas o par e a suspensão, advinha, 1.200 gramas também! Não dá pra escrever mais nada! A foto fala por si só.



segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Traíras - Serra Caiada

A menor distância entre dois pontos é uma reta, isso não se discute. A distância em linha reta entre as cidades de Traíras e Serra Caiada, localizadas no agreste potiguar,  é de 30 Km e era essa a nossa intenção, tentar um percurso o menor possível para ligar essas duas cidades por trilhas.

Analisando as trilhas já mapeadas anteriormente


Já tínhamos feito esse percurso entre Traíras e Serra Caiada anteriormente, já postado aqui no blog. Após analisarmos essas descobertas, vimos que teríamos a possibilidade de encurtarmos ainda mais essa distância. O percurso descoberto anteriormente foi de 43 Km, passando pela região de Maletas com saída pela BR 226, próximo a Serra Caiada.
Dessa vez contamos com a grata companhia do amigo Maninho. Companherio de outras viagens, sempre muito comunicativo, topou enfrentar essa aventura. Como de costume saímos Eu, Maninho e Sheyla da praça central da cidade de Traíras. Seguimos o mesmo caminho inicial da descoberta anterior na região até chegar ao Sítio Porteira. Resolvemos deixar a descoberta de um possível trecho menor para o retorno entre Serra Caiada e Traíras. 

Estrada de terra que liga Traíras a Félix Lopes

Fizemos um percurso de 9 Km, já conhecido, entre o Sítio Porteira e o lugarejo de Félix Lopes. Ao chegar no local, seguimos em frente, agora em um percurso novo para nós, rumo ao município de Córrego de São Mateus. Uma estrada de terra piçarrada, larga e com uma boa rolagem caracterizava esse percurso. Passamos por várias carvoarias e plantações até chegarmos próximos ao lugarejo de Timbaúba, distrito de Córrego São Mateus. Nesse ponto iniciamos um mapeamento via GPS de trilhas que não constavam no mapa. Precisávamos seguir no sentido de acharmos uma saída para a RN 120 que liga as cidades de Boa Saúde a Serra Caiada. Descobrimos 11 Km de estrada de terra, finalizando o primeiro trecho do dia. Seguimos pela RN 120 até Serra Caiada para um breve descanso.

Entrada da cidade de Serra Caiada - BR 226

Agora sim! O segundo trecho, o da volta, era o que nos interessava para tentar encontrar a menor distância entre as duas cidades. Para não perdermos tempo, seguimos pela BR 226 até uma trilha em frente a  entrada para o município de Eloi de Souza. Foram 11 Km por uma trilha já mapeada na ultima vez que estivemos na região. Após passarmos por esse percurso, a meta era chegarmos à Lagoa das Piabas, lugarejo próximo a Maletas. Achamos sem maiores dificuldades o percuso, pois, as descobertas anteriores facilitavam a navegação. Agora...o que achamos de muito bom, naquele calor e naquela hora (quase meio-dia), foi um famoso, saboroso e, principalmente, refrescante dindin. Estava fazendo muito calor e aquele dindin saiu como um prêmio a nossa disposição de aventureiros.

Pausa para saborear um dindin em Lagoa das Piabas

Conversando com uns moradores de Lagoa das Piabas, fomos orientados a seguir pela estrada paralela à linha de energia de alta tensão. Seguimos o conselho e fomos por essa estrada, o que as informações dadas pelo GPS confirmavam que estávamos seguindo pelo menor percurso (a linha imaginária entre as duas cidades). Percorremos 5 Km dessa estrada. Mas, o forte calor fez optarmos por não mais seguirmos por ela. Resolvemos voltar para Traíras por uma estrada de terra que liga Bom Jesus ao lugarejo de Félix Lopes, pois já conhecíamos o percurso. E assim fizemos. Talvez não tenha sido a melhor opção. A falta de chuvas está colaborando para que as estradas de terra que não são em piçarro fiquem com muita areia solta, o que dificulta a pedalada. Mas, não tínhamos escolha. Já que optamos por seguir pelo conhecido, àquela altura, não valeria a pena retornarmos e seguirmos pela estrada da linha de energia. Talvez por essa estrada o caminho estivesse ainda pior. A estrada que liga Bom Jesus a Félix Lopes segue o mesmo trajeto da adutora Monsenhor Expedito e realmente vimos o quanto a água é importante para o povo daquela região.

Adutora Monsenhor Expedito

Enfim, foi muito bom ter voltado à região e descoberto a menor distância entre as duas cidades para fazer de Mountain Bike. Mas, melhor ainda, foi ter comprovado que no Mountain Bike nem sempre a menor  distância entre dois pontos é o melhor percurso. A descoberta do menor percurso, que totalizou 39 Km, não é a melhor opção para percorrer entre as duas cidades. O percurso anterior que descobrimos pela região de Maletas, que totaliza 43 Km é muito melhor de percorrer e, portanto, vale a pena nessa região, para ir de Traíras a Serra Caiada, pedalar 4 Km a mais. Concluímos o percurso que faltava para ligar Natal à cidade de Santa Cruz na menor distância por trilhas. Portanto, o primeiro trecho da viagem de santana entre Natal e Acari por trilhas está concluído. Agora é esperar a temperatura amenizar, as chuvas voltarem, para fazermos a viagem Natal - Santa Cruz.
.

Estrada de terra sentido Traíras - Córrego de São Mateus

Sentido RN 120

Carvoaria no percurso

Região próxima à Lagoa das Piabas